quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A Fadinha dentro de nós.

É uma fatalidade.
É ir uma pessoa descansada da sua vidinha, rua fora, a trautear uma cançãozita (aqui, reparem, estimados leitores, já a sanidade a dar de si!), a pensar na vida e no dia de trabalho e nos donuts ali do pingo doce, e entretanto vai-se cruzando com gatos e cães e passaritos e melros e, qual Branca de Neve de mp3 nos ouvidos e botas de lenhador nos pés, cumprimentando e conversando com as bichezas todas, já velhos conhecidos.
Invariavelmente, do outro lado da estrada, há SEMPRE uma paragem de autocarro com um figurante que fica a olhar para nós fixamente...


6 comentários:

MRPereira disse...

E porque hás-de ser tu o louco e não a pessoa que vai a olhar fixamente para ti?

Já agora... Acertei mesmo? É o "Por Quem os Sinos Dobram"?

Beijo

marta disse...

Nope, lamento! "OS Fidalgos da Casa Mourisca"! Informação bónus: quando era adolescente, tinha uma paixão platónica pelo Jorge, e achava que o "gajo perfeito" tinha de ser uma coisa assim parecida. E gabo-me de ter razão lol! Não é raça extinta!

MRPereira disse...

Júlio Dinis? Mas isso não é passado no Minho ou lá o que é? Que tem isso a ver com o cú de Judas em Espanha?

O Jorge é o filho do fidalgo... Né?

Tu baralhas-me... (Já dizia o Tubarão para a Tubaroa!)

Beijo

marta disse...

Castro Laboreiro fica no Minho...-_-'

MRPereira disse...

Minho não é espanha... E tu no post que escreveste não meteste Espanha! Eu é que assumi que fosse!

Sou mesmo troll... -_-

Beijo

marta disse...

Não era Espanha, mas apanhava mais rede espanhola que portuguesa no telemóvel!