segunda-feira, 14 de março de 2011

É verdade, cá estamos! A vida não pára.

Ora desde sábado até este momento preciso, já muita coisa se passou, e eu não me chibei em nada, que autora desnatada esta que vos trás aqui!

Cheguei sábado aqui a terras de nuestros hermanos, eu e uma data de famílias de brasileiros que vinham com os tarecos todos e mais alguns dentro daquele bendito avião-low-cost-sem-direito-à-porra-de-um-café-do-mai-ranhoso-que-há-starbucks-pois-claro-nem-nos-dias-em-que-aquilo-atrasa-quatro-sim-leram-bem-quatro-horas.

Cheguei bem, cheia de larica, cheia de saudades, cheia de nervinhos parvos, mas depois curei-me de tudo.

Ontem ainda fomos espreitar o Rastro, que é tipo a Feira da Ladra cá do sítio, e passeámos até à Plaza de España, que é tipo a Praça de Espanha de cá mas com mais freaks e menos ciganos, e também mais limpinha, e tem uma estátua do D. Quixote e outra do Sancho Pança, também bem limpinhas, nomeadamente de cagadelas de pombo, porque toda a gente se pendura em cima dos desgraçados para tirar fotografias estilosas de turistas e aquilo vai tudo, cagadela de pombo incluída, onde, finalmente, se conseguiu dar com o saco das sementes (não é alpista, eu pensava que sim, mas não é!) para meter no micro-ondas e fazer umas massagens todas jólis à minha sogra.

Hoje lá consegui dar com Getafe, só me perdi uma vez e andei meia hora lá às voltas, para voltar foram 10 minutos, mas a meio quis fazer a visita turística e perdi-me outra vez, por pouco ainda chegava a Madrid mas era a pé!

Ah, prontes, o senhor gostou muito do meu aspecto, do meu certificado de habilitações e do meu curriculo, e já tenho carta branca para escolher o manual - que já fiz, e mandei a proposta à escola e tudo e tudo e tudo - e planear as minhas aulinhas que, infelizmente, só começam para Abril, o que quer dizer que vou ter de me entreter nos entretantos, o que pode querer dizer que ali aqueles armários da cozinha podem levar uma voltinha, e o que quer dizer, com todas as letras que vou andar atarefada a decorar o ninho das felinas cá de casa.

E que também há tempo para ver se as natas de cá de Espanha são iguais às nossas e se ficam bem com morangos, que foi o que andei a fazer há bocado.

No meio disto, ainda tive tempo de me ir empadronar, mais o rapaz, que é um aspecto burocrático da coisa - tem de ser no centro da nossa área de residência, levamos a identificação e o comprovativo da morada - o contrato, que eles são chatinhos... - e pimbas, passamos a ser, assumidamente, residentes madrilenos!

E como a coisa ficou definitivamente oficial, e como somos um casal moderno, ganhei uns brincos de noivado todos catitas que me deixaram toda babada...

Sem comentários: