quarta-feira, 31 de março de 2010

O que raio anda esta cachopa a fazer, caray? - Parte 2.

Grafitei a parede lá do barraco.
Acho que nunca tinham perguntado ao senhor da papelaria se aqueles marcadores davam para escrever na parede mas também para apagar no caso de a coisa correr mal.
Até nem correu, e não precisei de apagar nada.
Mas mamãe ficou em estado de choque...







5 comentários:

Elisabete disse...

Vi ao vivo! Ficou lindo!

Gingerbread Girl disse...

Muito bom!
Lord Byron e o caray! É só cultura! :D

marta disse...

Está na lista dos poetas neuróticos! É um querido!

Clara disse...

sempre tive esse "sonho" de escrever poemas nas paredes... a minha escolha seria florbela espanca... um dia ainda o hei de concretizar... parabens pela coragem!

marta disse...

Florbela é a seguinte! Das minhas preferidas. Se bem que há um poema especial do Ruben Dario, também...