quinta-feira, 3 de março de 2011

Lascas da nobre mas esquizofrénica vidinha de professor neste país.

Só este ano lectivo sou a terceira professora naquele lugar.

Achava eu.

Afinal, sou a quarta.

A primeira arranjou um emprego na área dela, que tinha a ver com a engenharia agrónoma.

A segunda foi colocada ali à porta, horário de 14 horas, com possibilidade de fazer ali um part-time que recusou.

A terceira foi-se embora em lágrimas ao final do primeiro dia....

Hoje, a nº 2 rescindiu contrato com uma escola do estado porque não tem cabeça para aquilo.

Vou agora para Madrid, calhou ser pela aventura, porque até estou a gostar bastante deste trabalho - mal pago, é certo, mas adoro os miúdos e a variação, é um ambiente meio doido, mas saudável e animado, e o meu patrão disse-me que está cheio de pena, porque fui a que se encaixou melhor ali...

E eu fico a pensar...

Ou somos nós que, às vezes, temos forças que desconhecemos para enfrentar estas coisas...

Ou então, há a hipótese de sermos completamente doidos e alucinados...

Uma delas!



2 comentários:

Maf disse...

É o Amor ou será a devoção...
Talvez seja por perfeição, talvez seja pela adoração...
O caminho... A vida é onde as flores brotam e nós as possamos ver!
Por mais que contrariemos a Natureza, a vida é que sabe, ela é quem comanda a vontade e a definição.
Segue o Coração ele nunca te vai matar, por mais que aperte, por mais que não largue, ele sabe... Onde está a felicidade!

marta disse...

É verdade, verdadinha! Quem corre por gosto não cansa! Mas, só às vezes, tem vontade de fazer uma coisinha má aos pneus dos carros dos patrões quando vê o recibo do ordenado e percebe que se matou a trabalhar e que ganhava mais a estar em casa a receber do estado...