terça-feira, 8 de novembro de 2011

Pobrezinhos dos Espanhóis, alguém que os ajude!!

Trouxe para casa um livro sobre queijos, qualquer coisa tipo "queijos espanhóis e do resto do mundo".

Ora a parte sobre queijos espanhóis está bem jeitosa.

A dos outros, nada mal!

Mas os desgraçados que escreveram o livro já não deviam ter orçamento para vir até ao país vizinho.

Só têm conhecimento da existência do Queijo da Serra da Estrela, do de Azeitão, do de S. Jorge, do de Nisa e do Rabaçal.

Mai nadinha!!

E, ainda por cima, vivem na ilusão de que a indústria queijeira portuguesa não existiu durante séculos porque os portugueses não têm clima para isso e não se dedicavam ao nobre alimento, e que só a partir dos anos 60 do século XX é que chegou o turismo às nossas paragens e nos trouxe o conhecimento dos queijos estrangeiros,... os quais nós temos andado a imitar!

Juro! É o que está aqui escrito!

Nada de queijinho de cabra, nem de Évora, nem o saloio, que servem em tudo quanto é tasco!

Alguém pague uma viagem de combóio àqueles desgraçados ou, pelo menos, uma cestinha de queijos!

O Queijo merece respeito, seja de que nacionalidade fôr!

Por exemplo, desde que o conheci pessoalmente, e à raclette, tenho um imenso respeito pelo queijo suiço!

De preferência derretido com ananás e bacon, por cima de uma batatinha cozida!

Há, pelo menos um aspecto positivo: estamos à frente da Grécia!

3 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Cabrões dos espanhóis!

Maria disse...

Podres crer Julie.
Se viessem cáe provassem todos os nossos queijos e chouriços nunca mais queriam outra coisa.
"Conhos", primeiro provam e depois escrevem sobre o assunto, bale ?

marta, a menina do blog disse...

Coitadinhos, não se goza com os ignorantes pobres de espírito a quem é permitido escrever livros...