sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Ora embrulha!


"Ah e tal, faz-me espécie as pessoas a fumarem logo de manhã na paragem do autocarro mesmo à minha beira."

"Ah e tal, faz-me espécie perfumes intensos logo de manhã, fico azoada."

Hoje gramei ao meu lado um senhor que cheirava tanto, mas tanto a contentor do lixo que já não vê esfregão de arame e sonasol desde 1977, que dei graças aos céus quando a rapariga que se sentou ao meu lado depois dele sair vinha a tresandar àquele perfume de baunilha que nos faz acreditar que a Páscoa é quando uma mulher quiser, e que se a pessoa tem gosto em cheirar a amêndoa da Páscoa, azar o dela.

Já confirmaram a sala para a festança do casório.

Só faltam os pormenores dos trabalhos manuais (yay!!).

Ah, e tipo, o vestido!




2 comentários:

Jaslene disse...

Mais vale um cheirinho de perfume um pouco mais forte do que um aroma a seres em estado de putrefação :)

marta, a menina do blog disse...

Ui, antes isso!