quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Em modo "vamos lá ver no que isto dá".

Amanhã é o último dia lá na casa de doidos, os que têm cunha andam numa de "ai, não, não sei nada disso!", os rebeldes andam a tirar fotos parvas, damos ao litro como é o costume, mas mais parvos, já a adivinhar que só vão ficar as aves raras e com um certo receio que, afinal, nos chamem (tipo, na segunda-feira de manhã, quando uma pessoa estiver a entrar no segundo sono...), e depois temos que ficar com as aves raras, na mesma, nomeadamente a senhora que tem nome de fadista-cadáver muito conhecida em Portugal mas que é um bocadinho tipo bués idiota, a groupie do Alejandro Sanz, que provavelmente vai dar em freira quando descobrir que ele é casado, as Doroteias que gostam de apontar os pecados dos outros, mas que deviam era estar caladinhas para não dar nas vistas, o nosso amigo Bundão, que foi de férias-surpresa, a portuguesinha ao pé da qual não se pode abrir a janela que lhe dá uma coisita, a sem sal que chega às horas que quer mas depois se põe com risinhos para a fadista e já ninguém se lembra, e o duas caras que anda a fazer apostas a ver quem fica e quem não fica mas com a descontração do "eu cá sou a raínha da colmeia, fico de certeza!"

Tecnicamente, vamos de férias, vamo-nos livrar de um bando de idiotas, porque o pessoal decente vai todo com os porcos, temos direito ao desemprego e, há que ser optimistas: fecha-se uma janela, abre-se a porta!

Ganhamos experiência, conhecemos gente, fazemos amigos, e conhecemos sítios novos.

O chato é que chegamos a casa e já estamos desactualizadas com o que uma Pêpa anda a desejar e quando vamos por ela, já o Quim Barreiros têm a sua versão da história no youtube...



4 comentários:

Maria disse...

E mais um montão de pessoas para o desemprego não?!
Boa sorte para ti.

bjs

S* disse...

O Quim Barreiros, really? Muito me contas.

marta, a menina do blog disse...

Infelismente, contratam as pessoas para os dias mais apertados, e depois decidem que não vale a pena gastar dinheiro em investir nos empregados...

O Quim Barreiros não sei, mas lá que esta história lhe daria pano para mangas, disso não duvido! =D

marta, a menina do blog disse...

*Infelizmente... ainda não me habituei ao meu teclado em Português...