terça-feira, 12 de março de 2013

A saga do dia já começou:

1) Empregada de mini-mercado, horário das 8h às 20h, duas horas de almoço, com experiência. Não, não é um aprendiz, ou o puto que quer ganhar uns trocos para gastar nas noitadas das férias, é mesmo uma pessoa que tem, muito provavelmente, renda de casa para pagar e filhos para sustentar.

"Ofereço 300 euros".

Devo comentar?

Ora informem-me lá quanto é que o português médio "oferece" pelo telemóvel mais recente, que quase toda a gente tem.

2) Part-time de 3 horas.

Bastante atractivo para quem está a receber subsídio de desemprego. "Deverei deixar a minha casa, gastar uma pipa de massa em transportes, na alimentação, para fazer 3 horas diárias pagas a preço de piadola?"


3) Freelancer.

A nova designação para "recibos verdes, ou ausência de qualquer contrato legal".




3 comentários:

Maf disse...

Deixa-te tar mazé quetinha...
Daqui a nada tás cá!

Maria disse...

Tudo excelentes ofertas portanto e benvinda a Portugal o sítio onde é suposto aceitar-mos qualquer porcaria em troco de uns euritos.

bjs

marta, a menina do blog disse...

Vou mas é dedicar-me à agricultura, é o que digo!