quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Sinceramente, continuo sem perceber muito bem a lógica da coisa, e já cá ando há uns anos.

Os níveis de serviço baixaram. É preciso trabalhar mais. Quando uma pessoa não está motivada, não trabalha com tanta vontade. Quando está motivada, trabalha mais e melhor. É a lógica.

Tecnicamente. Em termos práticos, a alma genial que faz os horários lá no estaminé, tem uma pontaria brutal para meter a organização dos dias da semana de pernas para o ar, geralmente metendo um dia de trabalho quando a pessoa lhe diz que tem de fazer as matrículas do filho no dia x, ou que tem uma consulta no dia y, não se abrindo (salvo seja...) à possibilidade de mudar o dia, e metendo a folga... no dia exactamente a seguir.

Enerva um bocado.

Também chateia quando mete fins de semana seguidos a algumas pessoas... e depois vem com a história do "ah e tal, baixámos o rendimento, vamos precisar de pessoas para fazer dias extras".

Claro que seria uma boa ideia (genial, vá!) meter as pessoas que têm um rendimento mais baixo a fazer as horas extras, já que os outros aproveitam o horário de trabalho para dar ao litro e não a andar a laurear a pevide no youtube, no messenger e a fazer chamadas para os amigos.

E depois, como é que vão recompensar as folgas que vamos ter de trabalhar, e que vão meter-nos em semanas de 6 dias de trabalho com um dia de descanso seguido de mais 6 dias de trabalho?

Com um dia de folga extra para descansarmos?

Ná... com 25% do que pagam por um dia de trabalho...

Epá, estou a sentir-me mesmo motivada!

(mesmo assim, tive de dar uma nega ao próximo sábado, uma vez que simplesmente me meteram a trabalhar nesse dia, nem tiveram a delicadeza (sim, eu sou assim de chata...) de perguntar se queria ou se estava disponível. Não, por acaso não estou. Ainda tentei dar a volta ao horário para ver se conseguia não ter de desmarcar as coisas, mas não houve margem de manobra da parte da senhora dos horários, então, olhem, não posso mesmo.)


E vou esquecer que hoje vi a palavra "avaria" escrita como "havaria". Exacto. Com "H" no início...

4 comentários:

Maria disse...

Pois realmente. Já vi que não trabalhas na função pública e que o sítio onde trabalhas não deve ser mesmo pêra doce e motivação deve ser coisa escassa por esses lados, também com uma senhora dos horários dessas acho que até um workholic desmotivava.

bjs

Miss Siddal disse...

É curioso isto que te está acontecer... que nos está acontecer. Aquilo que acabaste de descrever é o que acontece a uma série de pessoas que conheço, independentemente da sua profissão. E quando não há mudança de horários há sempre aquela sensação de que, se há 50 iniciativas extra trabalho era suposto estarmos lá e sair à hora que era suposto sairmos não é muito bem visto... a maneira como os patrões se aproveitam da falta de emprego é preocupante e desumana. O que é "fantástico" é que muitas vezes se ouvem os próprios patrões queixarem-se das medidas deste governo e da austeridade mas, no final, são eles os "carrascos"...

Didi disse...

No meu trabalho é a mesma coisa, por essa e por outras e que me sindicalizei, por eu não gosto que me ponham a pata em cima e se eu noto que me estão a fazer perseguição o caldo vai ficar entornado. Estou farta de Portugal e destes patrões de MERDA (é mesmo o termo certo) que usam a desculpa da crise como motivos para explorarem os seus trabalhadores.

marta, a menina do blog disse...

Às tantas, acaba por ser também por ter a ver com a nossa atitude: temos de dizer não, de vez em quando. Temos de levantar a garimpa e meter as coisas nos eixos, sem má educação, sem passar por cima de ninguém. Apenas respirar fundo, dizer "eu estou aqui e quero ser respeitado/a.". Não tão fácil como parece.... =D